top of page

AvóDezanove e o segredo do soviético [resenha]

Atualizado: 28 de jun. de 2021

O livro "AvóDezanove e o segredo do soviético" foi escrito pelo angolano Ndalu de Almeida, mais conhecido como Ondjaki, e ganhou o prêmio de Melhor Livro Juvenil do Jabuti 2010.


É um livro de ficção, mas claramente inspirado na infância do próprio autor na década de 1980, na cidade de Luanda, capital de Angola. Nele temos um narrador-criança que nos conta um pouco sobre o dia a dia no bairro chamado PraiaDoBispo, sobre seus moradores, sobre a casa da AvóAgnette - que depois ganha o apelido de AvóDezanove. Entre as muitas peripécias de criança, acompanhamos o narrador e seu melhores amigos, Pi e Charlita, na aventura de impedir a finalização da obra do mausoléu - ou Foguetão, como as crianças o chamam - e a consequente destruição das casas do bairro para a revitalização da área do entorno dessa construção, que irá abrigar os restos mortais do ex-presidente AgostinhoNeto. Os responsáveis pela obra são os soviéticos - daí vem parte do título - e o final da história eu, obviamente, não vou contar.


Escolhi este livro principalmente para atender ao cumprimento da Lei 11.645/2008 que torna obrigatória a inclusão da História e da Cultura Afro-brasileira e Indígena nos currículos das escolas brasileiras. Embora esteja em vigor há mais de 10 anos, ainda não foi efetivamente colocada em prática. Tanto escolas quanto editoras demoram em assumir esse dever educacional - e moral e ético e cidadão - de fazer ver uma história do povo africano que vá para além das narrativas de escravidão e submissão.


Quando me deparei com "AvóDezanove", foi amor à primeira vista - ou à primeira leitura. Ondjaki construiu uma prosa poética linda de se ler (e ver e sentir e cheirar), nessa mistura entre a linguagem infantil e o português-angolano que causa estranhamento nos alunos nas primeiras páginas, mas que depois os conquista. É impossível não se render diante da poesia de cada linha, da magia das conversas entre avós e netos e, por que não, diante do bom humor do narrador e do seu amigo Pi, cujos diálogos conseguem tirar boas risadas até mesmo do aluno mais fechadão.


Durante as aulas de leitura e discussão do livro (lembrando que sou professora do 8º ano), eu trabalho com questões de linguagem, abordando tanto a linguagem poética quanto a variação linguística, já que o livro não foi "traduzido" para o português-brasileiro. Além disso, também discutimos um pouco sobre a história de Angola, como o Colonialismo Português e a Guerra de Independência. Ainda nessa perspectiva histórica, chamo atenção para a relação entre o colonialismo e a exploração portuguesa e as péssimas condições socioeconômicas retratadas na narrativa.


Outro aspecto importante ao se trabalhar com literatura africana é romper com a visão estereotipada de que todos países africanos são iguais e são miséria do começo ao fim - em outras palavras: ainda não são civilizados e desenvolvidos. Eu mostro aos alunos vídeos atuais de Angola e eles ficam bem impressionados com a modernidade da cidade, com os arranha-céus da capital e com a obra do Foguetão - que é real! Também fazemos algumas pesquisas sobre personalidades angolanas, como outros escritores, cientistas e também a Miss Universo Leila Lopes.


Como podem ver, é um livro muito potente que permite diversos trabalhos e discussões em sala de aula. Eu estou organizando meus planos de aula e atividades e em breve pretendo compartilhá-los aqui (vou atualizar as postagens). Por ora, compartilho com vocês algumas resenhas e artigos acadêmicos que me ajudaram a planejar as aulas dessa obra de Ondjaki.



Algumas atividades que desenvolvi durante a leitura do livro:

  • Pesquisa, seminário e/ou discussão sobre temas presentes na obra.

  • Exercício de criatividade - escrita da carta enviada pelo personagem CamaradaBotardov.

  • Exercícios sobre linguagem poética, figuras de linguagem e léxico do português-angolano.

  • Podcast com resumo da obra e análise de temas retratados na narrativa.

  • Quiz com perguntas objetivas sobre o enredo.


Vejam essa entrevista com o autor e se apaixonem!

 

Na seção PARA LER NA ESCOLA, você vai sempre encontrar resenhas de livros literários (também conhecidos como paradidáticos) que são adequados para ler com os alunos do Ensino Fundamental 2. Também haverá sugestões de atividades e temas que podem ser trabalhados com os alunos durante a leitura.

 

AVÓDEZANOVE E O SEGREDO DO SOVIÉTICO

Ondjaki

Lançado em 2009, 192 p.

Editora Seguinte


É um romance que ultrapassa o horizonte histórico e biográfico para resultar num relato ficcional amparado na poesia da imaginação, no humor inocente da infância e na linguagem que combina o sabor da oralidade do português angolano ao talento narrativo de um jovem escritor africano.


Indicado para: 7º e 8º anos (avaliação minha - para o 6º, a linguagem é muito difícil)

Temas: infância, relacionamento entre avós e netos, história e cultura da África (Angola), linguagem poética, variação linguística.


3 comentários

Posts Relacionados

Ver tudo

3件のコメント


Professor leitor é o exemplo para a formação de leitores em sala de aula. E suas dicas são atuais, instigantes.

いいね!

Aline, adoro a maneira como vc escreve e as dicas que dá sobre os trabalhos possíveis de serem feitos com a obra! Vc vai dar dicas de leitura também para o 7º ano? Também aceito sugestão de escritoras... na minha lista de livros é predominante e espantoso o número de autores :/

いいね!

Que delícia de obra! Adorei o post!

いいね!
bottom of page