top of page

Dois livros de poemas de Sérgio Capparelli

Atualizado: 22 de mai. de 2023

Recentemente, recebi dois livros de poemas para crianças e jovens da L&PM Editores. ambos do poeta Sérgio Capparelli. Neste post, vou fazer uma breve apresentação dessas obras e sua adequação ao trabalho em sala de aula.


Começando pelo livro "111 poemas para crianças". Eu esperava que esse livro pudesse ser trabalhado com os alunos do 7º ano - para o qual leciono -, mas os poemas são realmente beeem para crianças e mais adequados para o Ensino Fundamental 1. Os 111 poemas abordam tanto temáticas comuns à infância, como animais e adivinhas, quanto a sonoridade das palavras. Há, ainda, alguns poemas visuais. Abaixo, segue uma resenha em vídeo sobre a obra.



O segundo livro é "Poemas para jovens inquietos", esse sim mais adequado para o público juvenil. O material voltado para o professor, disponibilizado pela editora, recomenda o livro para o Ensino Médio. Eu, particularmente, discordo um pouco da recomendação, pois acho que alguns poemas são um pouco infantis para jovens de 16-17 anos e também porque acredito que, nessa fase escolar, os alunos devem ser expostos a poemas voltados para o público adulto, tanto poemas de autores consagrados quanto de autores contemporâneos - até porque a interpretação dessas obras será cobrada no Vestibular. A obra me parece ser mais adequada para o 9º ano e acho ok de ser trabalhada no 1º do Ensino Médio - eu não trabalharia nos anos finais.


Abaixo, veja a resenha em vídeo disponibilizada pela editora L&PM. Neste link, você consegue baixar o Manual do professor - é material muito completo e bem elaborado, com informações sobre contexto, análise e linguagem, além de várias sugestões de atividades. Além disso, a própria editora disponibilizou um trecho do livro para leitura, leia o pdf aqui.



Como dito a resenha acima, os poemas finais abordam a temática sexual e é possível encontrar versos como os abaixo - então considere isso caso decida adotar este livro. Em um outro poema, há o termo "Kama Sutra".


Degelo


Abro o livro de teu sexo

escrito em braile, quero lê-lo.

(...)

Surfa o texto do meu corpo

e o sentido de meus nexos.

(p. 90)


De modo geral, achei os poemas bem interessantes, eles dialogam com temáticas juvenis e também com as redes sociais. A diagramação do livro também é bem legal. Abaixo, segue meu poema preferido do livro - é um poema que possibilita trabalhar o conceito de sujeito indeterminado e seu sentido/uso, metáforas e rimas, além da temática do cyberbullying, machismo e exposição das meninas/mulheres na internet.


Exposição digital


Primeiro exibiram seu corpo,

depois rabiscaram sua honra,

em seguida, alardearam seus medos

e fotografaram suas sombras.


Expuseram seus traumas,

quebraram seus pulsos, suas mãos,

e deixaram suas vísceras

espalhadas no chão.


No fim a puseram do avesso

e disseram: fim da linha!

Isso é só o começo,

vamos destruí-la, galinha!

(p. 96)


0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Comments


bottom of page